Conheça os homens mais ricos do mundo em 2016

Os homens mais ricos do mundo de 2016 estão aqui, confira e se inspire para fazer sua fortuna também.


Bill Gates fundador da MICROSOFT possui um patrimônio estimado em 75 bilhões de doláres.


Amancio Ortega fundador da marca espanhola ZARA é o segundo mais rico do mundo com fortuna estimada em torno de 67 bilhões de doláres.


Warren Buffett é o terceiro homem mais rico do mundo com uma conta bancária de 60 bilhões de doláres.


Carlos Slim Helú dono da empresa TELECOM e é o quarto homem mais rico do mundo com 50 bilhões de doláres em conta.


Jeff Bezos criador do site AMAZON acumula uma fortuna de 45 bilhões de doláres e se tornou o quinto homem mais rico do mundo.

Mark Zuckerberg o dono do site de relacionamento mais conhecido do mundo: FACEBOOK estima uma fortuna de 44,5 bilhões de doláres com apenas 32 anos e se tornou o sexto homem mais rico do mundo em 2016.



Dinheiro-Financas

Receba os melhores artigos no seu Whats




Receba os melhores artigos no seu e-mail




Educacao

ENEM. Veja a lista das melhores Universidades para você estudar

Vai prestar o ENEM e está em dúvida quais Universidades aceitam a nota do ENEM? Confere aqui a lista de todas as instituições que tem o ENEM como ingresso aos seus cursos de nível superior e técnico.


REGIÃO CENTRO-OESTE

UnB – 50% das vagas pelo Enem/SiSU e 50% pelo PAS no 1º semestre e vestibular no 2º semestre
UFG – todas as vagas pelo Enem/SiSU, exceto cursos que exigem teste de habilidade específica
UFGD – 50% das vagas pelo Enem/SiSU
UFMT – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFMS – todas as vagas pelo Enem/SiSU

ESCS – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UEMS – todas as vagas pelo Enem/SiSU
Unemat – todas as vagas pelo Enem/SiSU no 1º semestre e vestibular no 2º semestre

IFB – todas as vagas pelo SiSU, exceto Dança, que utiliza Enem mais teste de habilidade específica
IFG – todas as vagas pelo Enem/SiSU, execeto Música, que utiliza Enem mais teste de habilidade específica (novo - saiba mais)
IF Goiano – todas as vagas pelo Enem, sendo 70% via vestibular e 30% via SiSU
IFMT – cerca de 20% das vagas pelo Enem/SiSU
IFMS – todas as vagas pelo Enem/SiSU

REGIÃO NORDESTE

UFAL – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFBA – todas as vagas pelo Enem/SiSU, exceto cursos que exigem teste de habilidade específica
UFOB – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFSB – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFRB – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFC – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFCA – todas as vagas pelo Enem/SiSU
Unilab – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFPB – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFCG – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFMA – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFPE – todas as vagas pelo Enem/SiSU, exceto Dança e Música (novo - saiba mais)
UFRPE – todas as vagas pelo Enem/SiSU
Univasf – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFPI – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFRN – todas das vagas pelo Enem/SiSU, exceto para cursos que exigem teste de habilidade específica (Música e Teatro)
Ufersa – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFS – todas as vagas pelo Enem/SiSU, exceto para o curso de Música

Uneal – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UNEB – parte das vagas serão preenchidas pelo Enem/SiSU
UESB – metade das vagas pelo Enem/SiSU
UESC – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UECE – 25% das vagas pelo Enem/SiSU
UEPB – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UPE – 50% das vagas pelo Enem/SiSU
UESPI – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UERN – todas as vagas pelo Enem/SiSU

IFAL – todas as vagas pelo Enem/SiSU
IFBA – todas as vagas pelo Enem/SiSU (novo)
IFBaiano – todas as vagas pelo Enem/SiSU
IFCE – todas as vagas pelo Enem/SiSU
IFPB – todas as vagas pelo Enem/SiSU
IFPE – vagas do 2º semestre são preenchidas pelo Enem/SiSU
IFSertão – todas as vagas pelo Enem/SiSU
IFPI – todas as vagas pelo Enem/SiSU
IFRN – todas as vagas pelo Enem, sendo algumas pelo SiSU
IFS – 50% das vagas pelo Enem/SiSU

REGIÃO NORTE

UFAC – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFAM – 50% das vagas pelo Enem/SiSU
Unifap – metade das vagas pelo SiSU e metade pelo Enem 2016 e 2015
UFPA – todas as vagas pelo Enem 2016, sendo 20% pelo SiSU
UFOPA – todas as vagas pelo Enem 2015 ou 2016, mas sem utilizar o SiSU
Unifesspa – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFRA – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFRR – parte das vagas pelo Enem/SiSU
UNIR – todas as vagas pelo Enem, mas sem aderir ao SiSU
UFT – todas as vagas pelo Enem/SiSU

UEAP – todas as vagas pelo Enem, mas sem aderir ao SiSU
UEPA – vagas do Prosel (50% do total) serão exclusivas para participantes do Enem 2016 (novo - saiba mais)

IFAC – todas as vagas pelo Enem/SiSU
IFAM – 20% das vagas pelo Enem/SiSU
IFAP – todas as vagas pelo Enem/SiSU
IFPA – todas as vagas pelo Enem/SiSU
IFRO – 50% das vagas pelo Enem/SiSU
IFRR – 50% das vagas do campus Boa Vista pelo Enem/SiSU
IFTO – parte das vagas pelo Enem/SiSU

REGIÃO SUDESTE

UFES – todas as vagas pelo Enem/SiSU (novo - saiba mais)
UFMG – todas as vagas pelo Enem/SiSU, exceto cursos que exigem teste de habilidade específica
UFJF – 70% das vagas pelo Enem/SiSU; o restante é pelo vestibular seriado (Pism)
UFLA – 60% das vagas pelo Enem/SiSU; o restante é pelo vestibular seriado (PAS), sendo que o Enem substitui as provas da 3ª etapa
Unifal – todas as vagas pelo Enem/SiSU
Unifei – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFOP – todas as vagas pelo Enem/SiSU, exceto para os cursos que exigem teste de habilidade específica
UFSJ – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFTM – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFU – todas as vagas do primeiro semestre pelo Enem/SiSU, exceto para cursos que exigem teste de habilidade específica (saiba mais)
UFV – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFVJM – 50% das vagas pelo Enem/SiSU; o restante é pelo vestibular seriado (SASI), sendo que o Enem substitui as provas da 3ª etapa
UniRio – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFF – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFRJ – todas as vagas pelo Enem/SiSU, exceto cursos que exigem teste de habilidade específica
UFRRJ – todas as vagas pelo Enem/SiSU, exceto para os cursos que exigem teste de habilidade específica
Unifesp – usa Enem como 1ª fase do vestibular para alguns cursos, e o SiSU para outros
UFABC – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFSCar – todas as vagas pelo Enem/SiSU

UEMG – 50% das vagas pelo Enem/SiSU, exceto para cursos que exigem teste de habilidade específica
Unimontes - 60% das vagas pelo Enem/SiSU 
UENF – todas as vagas pelo Enem/SiSU
Unesp – nota do Enem 2016 pode ser usada para aumentar nota do vestibular
Unicamp – nota do Enem 2016 ou 2015 pode ser usada para aumentar nota da primeira fase
USP – 2.338 vagas (21,11%) pelo Enem/SiSU (saiba mais)

IFES – todas as vagas pelo Enem/SiSU
IFSudesteMG – 50% das vagas pelo Enem/SiSU
IFSuldeMinas – 70% das vagas pelo Enem/SiSU
IFMG – 50% das vagas pelo Enem/SiSU
IFNMG – alguns cursos terão vagas pelo SiSU e outros pelo vestibular
IFTM – todas as vagas pelo Enem/SiSU
Cefet-MG – todas as vagas pelo Enem/SiSU (novo - saiba mais)
IFSP – todas as vagas pelo Enem/SiSU
IFF – algumas vagas pelo Enem/SiSU
IFRJ – todas as vagas pelo Enem/SiSU
Cefet-RJ – todas as vagas pelo Enem/SiSU

REGIÃO SUL

UFPR – 30% das vagas pelo Enem/SiSU
UTFPR – todas as vagas pelo Enem/SiSU
Unila – todas as vagas pelo Enem/SiSU, exceto o curso de Música
UFRGS – 30% das vagas pelo Enem/SiSU
UFCSPA – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFSM – 80% das vagas pelo Enem/SiSU
UFPel – todas as vagas pelo Enem/SiSU
FURG – todas as vagas pelo Enem/SiSU e cursos a distância pelo Enem
Unipampa – todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFSC – 30% das vagas pelo Enem/SiSU (novo - saiba mais)
UFFS – todas as vagas pelo Enem/SiSU

UEL – mais de 30 cursos aderiram ao Enem/SiSU para parte das vagas (saiba mais)
UENP – de 10% a 36% das vagas de cada curso pelo Enem/SiSU
Unicentro – Enem é usado para vagas remanescentes
Unioeste – 50% das vagas pelo Enem/SiSU
UERGS – todas as vagas pelo Enem/SiSU; exceto para os cursos que exigem teste de habilidade específica
Udesc – 25% das vagas do Vestibular de Verão serão preenchidas pelo Enem/SiSU

IFPR – todas as vagas pelo Enem/SiSU
IFSul – 50% das vagas pelo Enem/SiSU
IFRS – 50% das vagas pelo Enem/SiSU 
IF-Farroupilha – todas as vagas pelo Enem/SiSU
IFSC – 50% das vagas pelo Enem/SiSU - Sete campi não possuem mais vestibular, sendo 50% das vagas pelo Enem e 50% pelo SiSU
IFC – todas as vagas pelo Enem/SiSU

Saude

Como Aliviar uma Dor de Dente Naturalmente

A dor de dente geralmente é dolorosa, deixando a pessoa muito mal e até interferindo com a rotina do dia a dia. Além da dor no dente em si, você pode sentir algumas outras coisas, tais como: febre leve, inchaço no local do dente afetado ou dor na mandíbula. Há vários remédios caseiros para aliviar uma dor de dente. No entanto, se o problema for persistente, o melhor mesmo é consultar um dentista. Ele vai examiná-lo na procura de cáries ou outros problemas.

 

1

Enxágue a boca com água morna misturada com sal. Esta é a primeira providência a ser tomada. Uma das causas mais comuns da dor de dente é a infecção, e o sal funciona como um agente para eliminá-la. Esse produto vai drenar os fluidos do local afetado, aliviar a pressão sentida no tecido e também reduzir a dor.

  • Para preparar a solução, pegue um copo cheio de água morna e acrescente 1 colher de chá de sal de mesa ou marinho. Mexa bem para dissolvê-lo.
  • Não use água quente para não queimar a boca.
  • Faça um bochecho com a solução salina. Garanta que o líquido entre em contato com o dente dolorido. Faça esse enxágue por pelo menos 30 segundos e depois cuspa a solução — não engula.
  • Repita uma vez a cada hora para diminuir a dor.
  • Se não tiver sal no momento, só lavar a boca com água morna já vai ajudar

 

2

Passe fio dental nos dentes. Depois do bochecho, continue a limpeza para remover partículas de comida e placas. Com o fio, limpe bem entre cada um dos dentes. Evite mexer excessivamente no dente dolorido, mas faça o possível para remover quaisquer partículas que possam piorar a infecção.

 

3

Use óleo de cravo. Esse remédio é muito popular, tem propriedades antibacterianas e também serve para aliviar a dor. Além disso, também age como antioxidante e reduz a inflamação. O óleo de cravo vai ajudar a anestesiar a área ao redor do dente dolorido.

  • Umedeça uma bola de algodão com umas duas gotas de óleo de cravo e aplique no dente. A dor começará a diminuir. Para alcançar resultados ainda melhores, repita o tratamento três vezes por dia.
  • Ainda que o óleo de cravo seja seguro se usado em quantidades pequenas, exagerar pode levar a problemas de saúde. Sempre siga as instruções da embalagem.
  • Esse produto pode ser encontrado em farmácias ou lojas de produtos naturais. No entanto, se quiser preparar o óleo em casa, amasse dois cravos in natura e depois misture com azeite.

4

Aplique uma compressa fria. Se a dor estiver sendo causada por algum no trauma no dente, esse tratamento é o mais indicado. Embrulhe um cubo de gelo com um pano limpo e aplique diretamente sobre o dente, do lado de fora da boca, por aproximadamente dez minutos.

  • A temperatura fria vai criar uma sensação anestesiante, o que ajudará a diminuir a dor. No lugar do gelo, outra alternativa é usar uma bolsa de gelo ou até mesmo um pacote de legumes congelados.
  • Nunca aplique o gelo diretamente sobre a gengiva, pois vai prejudicar o tecido sensível.

5

Use um saquinho de chá. Esse remédio é bem simples e pode ser encontrado em qualquer casa. Lembre-se de que esse tratamento não lida com a infecção. Entretanto, alguns dos sintomas serão aliviados. Coloque o saquinho de chá dentro de uma xícara de água morna (não quente), esprema bem e aplique no dente afetado por uns 15 minutos.

  • O chá contém tanino, que é um adstringente muito potente e vai fornecer alívio temporário da dor.
  • Os chás de eucalipto ou hortelã são os mais recomendados.
  • Tenha cuidado, pois fazer esse procedimento com muita regularidades vai manchar os dentes e as gengivas.

6

Alivie a dor usando um pouco de cúrcuma. Ela serve não apenas como tempero em muitos pratos, mas também apresenta usos medicinais. A cúrcuma contém a curcumina, um princípio ativo responsável por baixar os níveis de histamina e, consequentemente, reduzir a dor.

  • Dissolva 5 g de cúrcuma, 2 dentes de alho e 2 folhas desidratadas de goiaba em 240 ml de água. Ferva por cinco minutos.
  • Peneire a mistura. Deixe esfriar e depois faça bochechos com a solução por um minuto.
  • Outra opção é pegar 2 colheres de sopa de cúrcuma em pó e dourar em uma panela. Deixe esfriar e aplique no dente com a ajuda de um cotonete limpo.

7

Saiba o que evitar. Além de tentar diminuir a dor, também é importante evitar certas coisas que poderiam piorar o quadro. A lista varia de pessoa para pessoa, e só você poderá julgar o que incomoda ou não. Geralmente, bebidas e alimentos gelados ou muito quentes vão causar ainda mais dor.

 

Consulte sempre seu odontologista antes de qualquer ação. Não nos responsabilizamos por suas atitudes, use as dicas acima sob sua responsabilidade.

 

FONTE: pt.wikihow.com

Saude

Como Branquear os Dentes com Bicarbonato de Sódio? Fácil e barato!

1

Misture o bicarbonato de sódio com água ou limão (ambos devem servir). Em um copo, misture uma colher e meia de bicarbonato de sódio com algumas gotas de água ou limão. Forme uma pasta para aplicar com maior facilidade. Para aplicar a pasta em seus dentes, você pode usar uma escova ou os dedos. Caso queira remover uma mancha muito persistente, recomenda-se aplicar a pasta diretamente à mancha e deixá-la descansar por dois minutos. Algumas manchas, como ocorre em algumas louças, precisam de uma esfregadinha extra para desaparecerem. O mesmo ocorre com manchas nos dentes. Use uma escova de dentes ou as unhas para raspar os últimos fragmentos de sujeira.

  • Seque a superfície do dente com uma gaze antes de aplicar a pasta.
  • Se quiser um efeito branqueador mais amplo, mergulhe a escova de dentes em um copo para cobrir as cerdas de pasta de bicarbonato e comece a escovar.
  • Como alternativa, você pode colocar a escova de dentes úmida diretamente no bicarbonato de sódio e o pó irá se prender nas cerdas. Porém, o gosto do bicarbonato será muito forte se você usar este método.

2

Escove os dentes de um a dois minutos. Escove seus dentes como você normalmente faria, mas concentre-se em passar a escova em todas as aberturas e reentrâncias. Não escove os dentes por mais de dois minutos, já que o bicarbonato de sódio é um abrasivo leve e pode começar a corroer o esmalte dos seus dentes.

  • Use uma escova de cerdas macias e não aplique muita força ao escovar.
  • Esteja ciente de que o gosto do bicarbonato de sódio não é particularmente agradável!

3

Enxágue. Cuspa o bicarbonato de sódio e enxágue a boca com água ou enxaguante bucal. Lave bem a sua escova de dentes também.

 

4

Repita em dias alternados. Você deve repetir o processo de escovação dos dentes com bicarbonato de sódio em dias alternados de uma a duas semanas. Você irá perceber uma leve diferença entre a cor dos seus dentes depois de alguns dias e uma diferença substancial depois de duas semanas.

  • Depois de duas semanas escovando os dentes com bicarbonato de sódio em dias alternados, você vai diminuir a frequência para apenas uma ou duas vezes por semana. Isso é porque as propriedades abrasivas do bicarbonato de sódio podem danificar o esmalte dos seus dentes se o bicarbonato for usado com muita frequência.
  • Esteja ciente de que escovar seus dentes com bicarbonato de sódio não deve substituir a escovação com a pasta de dente. A pasta de dente contém flúor, que é importante para fortalecer os dentes e prevenir cáries.
  • Antes de começar a branquear os dentes com bicarbonato, consulte seu dentista para saber se seus dentes são saudáveis o suficiente para isso. Alguns pacientes possuem deficiências de mineralização de esmalte. Nesses casos, o bicarbonato é contraindicado por criar um efeito abrasivo.

 

 

 

Consulte sempre seu odontologista antes de qualquer ação. Não nos responsabilizamos por suas atitudes, use as dicas acima sob sua responsabilidade.

 

FONTE: pt.wikihow.com

Dinheiro-Financas

Como Lidar com as Dívidas?

As dívidas são parte da vida para muitos de nós, mas há ocasiões em que elas podem se tornar enormes e incontroláveis. É importante encarar a situação de frente e fazer uma auditoria geral de todos os débitos em aberto. Tente encontrar formas de reorganizar seu orçamento para não se atrasar nos pagamentos. Caso esteja com com dificuldades, procure uma instituição de crédito, o banco ou um consultor financeiro.

 

1

Avalie a situação. O primeiro passo para restabelecer o controle da dívida é fazendo uma avaliação honesta de todos os débitos em aberto e o valor total. Comece relacionando cada dívida e inclua o máximo de informações que puder. Não será possível progredir se você não tiver uma noção clara de sua situação financeira.

  • Anote as informações essenciais, incluindo taxas de juros, valor principal, pagamentos mensais e quaisquer garantias atreladas ao seguro de empréstimo.
  • Essa experiência pode ser estressante e difícil, mas é essencial.
  • Depois de reunir todas as informações, você poderá começar a entender a situação para conseguir resolvê-la.

2

Determine quais débitos têm garantia e quais não têm. Depois de relacionar todos os débitos, você deve organizá-los por ordem de importância. Comece determinando quais estão atrelados a garantias e quais não estão. Isso é importante, pois você verá quais débitos podem implicar em perdas de bens, como a sua casa.

  • Débitos com garantia são aqueles que estão atrelados a um bem, como uma casa ou carro. Caso falte com os pagamentos, o credor terá o direito de tomar o bem para quitar a dívida.
  • Débitos sem garantia são aqueles que não estão atrelados a qualquer bem e geralmente incluem dívidas de cartão de crédito, plano de saúde e empréstimos bancários.

3

Priorize as dívidas. O próximo passo é priorizar as dívidas por aquelas que devem ser quitadas primeiro. Embora todas sejam importantes, algumas são mais do que outras. As mais importantes, geralmente, são as que podem implicar na perda da sua casa, carro ou outro bem. Nessa categoria, incluem-se aluguéis, hipoteca, impostos e contas de consumo.

  • O aluguel e as contas de consumo se tornam dívidas quando você deixa de pagá-los. Seus serviços podem ser cortados e você pode ficar sem ter onde morar. Trate-as como prioridade.
  • Débitos com menor prioridade incluem dívidas de cartão, cheque especial, parcelamentos em atraso, empréstimos feitos com terceiros ou débitos sem garantia.
  • Ao priorizar as dívidas, veja quais têm maiores taxas de juros. Caso possa liquidar rapidamente aquelas que têm as maiores taxas, melhor. Assim, você poderá lidar mais adequadamente com os outros débitos.
  • Caso tenha algumas economias, use-as para pagar as dívidas mais caras. A taxa de juros das dívidas certamente é maior do que a que você ganha por manter o dinheiro rendendo. No entanto, tenha cuidado para não gastar todo o dinheiro que tiver guardado, pois ele pode ser útil em alguma emergência futura.
  • É comum que as empresas que possuem débitos de menor prioridade sejam mais incisivas na cobrança. Lembre-se disso e concentre-se nos débitos de maior prioridade.

4

Verifique se você está em uma crise financeira ou não. Depois de conferir todas as dívidas, é preciso refletir sobre a gravidade do problema. Não há definição exata para “crise financeira”, mas tente refletir sobre a sua posição atual com duas perguntas: você está encontrando dificuldades para pagar suas despesas básicas por conta das dívidas? Isso inclui financiamento da hipoteca, o mínimo do cartão de crédito e contas de consumo.

  • Pergunte-se se as dívidas (incluindo a hipoteca e financiamento do carro) são maiores do que sua renda anual, descontando os impostos.
  • Caso a resposta para alguma dessas perguntas for positiva, sua dívida pode ser grave e o melhor talvez seja buscar um consultor financeiro ou alguma organização que preste esse serviço gratuitamente.
  • Lembre-se de que, independentemente do tamanho da dívida, é importante avaliar se você poderá lidar com elas.

5

Não faça mais empréstimos caros. Para muitos, a dívida pode ser tornar um ciclo sem fim, que piora com o tempo. Frequentemente, se você já tem alguns empréstimos, talvez se sinta pressionado a fazer novos empréstimos para pagar os antigos. Isso é comum para o caso de bancos, mas deve ser evitado. Verifique outras opções, como um empréstimo consignado ou renegociações.

  • Você terá mais chances de liquidar o débito ou trocá-lo por um com tarifas mais favoráveis. Antes de tomar qualquer atitude, fale com um consultor financeiro.
  • Esteja atento quanto às garantias de empréstimo. Esses empréstimos podem exigir que você coloque sua casa como garantia de pagamento, mas também podem ser vantajosos, com taxas menores de juros e melhores condições de pagamento. Apenas tenha cuidado para não gerar mais dívidas após esse empréstimo.

 

 

 

FONTE: pt.wikihow.com